Métricas e atribuições dentro da Mídia Programática.

Esse é um tema muito importante porque é o principal fator para uma boa campanha de mídia.   Primeiramente vamos definir o que é métrica.   Como você acompanha os resultados de suas estratégias de marketing sem saber o que é métrica? Métricas são indicadores utilizados para medir os resultados das ações e campanhas em suas estratégias de marketing. […]

Por Renata Rodrigues

11 de novembro de 2020

Métricas e atribuições dentro da Mídia Programática.

Esse é um tema muito importante porque é o principal fator para uma boa campanha de mídia.

 

Primeiramente vamos definir o que é métrica.

 

Como você acompanha os resultados de suas estratégias de marketing sem saber o que é métrica?

Métricas são indicadores utilizados para medir os resultados das ações e campanhas em suas estratégias de marketing.

Bom, e falando um pouquinho sobre as Métricas da Mídia Programática…

Você sabia que a compra é sempre feita por CPM?

 

O que é CPM?

 

CPM é um termo de marketing digital que significa custo por mil e mede o custo de 1000 impressões.

Mas a forma de otimização, ela pode ser de acordo com o objetivo do cliente.

Então, nós conseguimos otimizar por CTR, CPC, por CPA, por CPL e também por CPM.

Calma! Vamos ao significado de todas essas siglas:

 

CPM – Custo por Mil Impressões
CTR – Taxa de Cliques
CPC – Custo por Clique (custo médio)
CPA – Custo por Aquisição ou resultado
CPL – Custo por Lead

 

Quando a AdsPlay otimiza uma campanha, nosso time analisa não só o objetivo do cliente, mas também as métricas complementares.

Um ponto importante é que, independentemente do método de otimização a compra sempre será por CPM quando falamos de mídia programática.

Dentro da plataforma, analisamos algumas métricas como por exemplo, a quantidade de impressões, a quantidade de cliques, o CTR, o CPC e o CPM, além do inventário onde o anúncio está aparecendo.

 

 

Dentro do Google Analytics

 

Fora da plataforma, dentro do Google Analytics, analisamos o Connect Rate, ou seja, a quantidade de cliques que realmente viraram visitas no site. Isso é importante para entender se os cliques estão com qualidade ou não.

Vemos também o tempo de permanência do usuário, se ele está ficando pouco tempo ou não, exemplo: se entrou no site e não teve interesse e saiu muito rápido, essa métrica também pode ser analisada para entender a qualidade daquele acesso.

 

Agora, vamos falar sobre as conversões e como medir essa atribuição e assistência na Mídia Programática?

 

Existem duas formas de se medir as conversões:

A primeira é dentro da DSP, pegamos o Pixel da plataforma e instalamos no site do cliente onde ele considera o ato de conversão.

Antes de prosseguirmos, vamos explicar rapidamente o que é uma DSP.

 

O que é uma DSP?

 

A sigla significa Demand Side Plataform, o que na prática é uma plataforma de compra de mídia em tempo real (RTB – real time bidding). É nela que anunciantes compram de forma fácil e rápida espaços publicitários em sites que exibem anúncios.

De uma forma didática, podemos dizer que é um sistema que auxilia a agência, anunciante ou trading desk na compra de mídia de maneira automatizada.

Agora, podemos voltar do parágrafo de onde paramos… “A primeira forma é dentro da DSP, pegamos o Pixel da plataforma…”.

Pode ser um botão ou uma página de /obrigado onde entendemos que o processo de conversão deu certo e foi até o final.

 

 

Com base nessa informação entendemos que, os usuários que chegarem até aquela etapa converteram.

Após definir a conversão também definimos a janela de lookback. De maneira simples é o tempo pré-conversão que vamos considerar que a mídia teve impacto ou não.

É importante que essa janela faça sentido com o tempo médio que o cliente leva para decidir sobre a compra ou não. Por exemplo, a janela de decisão para a compra de um carro é muito maior do que a de compra de uma pizza em um aplicativo de delivery.

Essa janela de atribuição pode ter sua data personalizada tanto para o view como para o clique no anúncio.

Se o usuário, visualizar ou clicar no banner, dentro dessa janela pré-estabelecida, a plataforma vai considerar essa conversão para a Mídia Programática e assim, teremos essa conversão, tanto de visualização, quanto de clique. É a melhor maneira da atualidade de se medir conversões e atribuir o retorno de mídia de maneira mais precisa.

Outra forma que conseguimos enxergar as conversões é dentro do Google Analytics.

 

 

Conversões dentro do Google Analytics

 

Muitos dos nossos clientes questionam: Por que eu não estou enxergando as conversões no last-click?

A Mídia Programática tem a função de dar assistência e atribuição para os demais canais e, normalmente, não fica como o último clique antes da compra. Por isso, se olharmos somente o resultado do Google Analytics temos uma visão incompleta das conversões que aquele canal participou. Por isso, que é importante ter uma visão mais ampla quando trabalhamos com mídia programática.

 

Sobre as atribuições

 

Muitas vezes o primeiro impacto foi da Mídia Programática e depois o usuário clicou no Facebook ou ele foi impactado no LinkedIn e só aí, ele converteu.

É importante ter uma jornada bem mapeada para não depender apenas do Google Analytics que só considera em seus relatórios de atribuição os canais que, em algum momento, geraram uma visita.

 

Gostou do conteúdo do texto Métricas e Atribuições?

Espero que esse texto tenha esclarecido as suas dúvidas sobre Métricas e Atribuições na Mídia Programática. Continue nos acompanhando para mais conteúdos interessantes, e caso tenha interesse em uma campanha de mídia programática para sua empresa, acesse nossa página de serviços.