LGPD e os impactos da Mídia Programática: 10 dicas essenciais

Por

Maria Fernanda

No mundo atual, a tecnologia desempenha um papel central em nossas vidas e, com isso, a proteção de dados pessoais tornou-se uma preocupação primordial. A implementação da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) no Brasil trouxe consigo uma série de transformações no universo digital, bem como no campo da Mídia Programática. 

Neste artigo, vamos conhecer os detalhes da LGPD, desde a compreensão da Lei até como ela molda as estratégias de Mídia Programática.

O que é LGPD e qual a sua importância?

A Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) é uma legislação pioneira no Brasil que foi concebida com o propósito de regulamentar a coleta, o armazenamento, o tratamento e o compartilhamento de dados pessoais. 

Em um mundo onde a tecnologia permeia todas as esferas da nossa sociedade, a LGPD desempenha um papel crucial ao assegurar que os direitos individuais e a privacidade dos cidadãos sejam preservados, em meio à crescente conexão digital. 

A importância da LGPD está no fato de ela estabelece diretrizes rígidas para as organizações lidarem de maneira responsável e ética com as informações pessoais dos indivíduos.

O que são dados sensíveis?

No contexto da LGPD, dados sensíveis são informações que, se mal utilizadas, podem resultar em discriminação, estigmatização ou violações graves da privacidade. 

Esses dados revelam aspectos íntimos da vida de um indivíduo, incluindo a origem racial ou étnica, crenças religiosas, opções sexuais, registros de saúde, entre outros. 

Com o objetivo de garantir uma proteção robusta e abrangente, a LGPD atribui uma camada adicional de salvaguarda a esses dados, impondo restrições mais rigorosas ao seu tratamento.

Para que serve a LGPD?

A LGPD desempenha um papel multifacetado no meio digital. Primeiro, ela concede aos cidadãos um nível de controle sobre seus próprios dados pessoais. Esses direitos incluem o acesso às informações coletadas, a correção de dados incorretos e até mesmo a possibilidade de solicitar a exclusão desses dados. 

Além disso, a LGPD pretende fomentar um ambiente de transparência e confiança nas interações entre empresas e consumidores, estimulando práticas de coleta e tratamento de dados éticas e responsáveis.

Quais são os três pilares da LGPD?

A LGPD é sustentada por pilares fundamentais que norteiam suas disposições. Conheça os três principais e entenda mais sobre cada um deles:

Transparência

As organizações são obrigadas a fornecer informações claras e acessíveis sobre como os dados serão coletados, utilizados, processados e armazenados. A transparência é a base para construir a confiança dos indivíduos em relação ao tratamento de seus dados pessoais.

Finalidade

A coleta e o tratamento de dados devem ser realizados com uma finalidade específica e legítima. Os dados não podem ser utilizados de maneira incompatível com a finalidade original informada ao titular.

Necessidade

A coleta de dados deve ser limitada ao que é estritamente necessário para atingir a finalidade previamente determinada. Essa abordagem evita a coleta excessiva e desnecessária de informações pessoais.

Quais tipos de dados são protegidos pela LGPD?

A abrangência da LGPD é ampla, englobando uma diversidade de dados pessoais que podem identificar diretamente ou indiretamente um indivíduo. Isso abarca desde informações básicas, como nomes e endereços, até dados gerados online, como endereços IP e cookies. 

A lei também presta especial atenção aos dados sensíveis, como os relacionados à saúde, à orientação sexual e à origem étnica, estabelecendo um nível de proteção adicional para essas informações.

O que é LGPD nas empresas?

A adaptação à LGPD representa um desafio e, ao mesmo tempo, uma oportunidade para as empresas que atuam no cenário digital. Em especial, aquelas envolvidas em Mídia Programática precisam ajustar suas estratégias para se alinhar com os requisitos da LGPD. 

Isso inclui a obtenção explícita de consentimento dos usuários para a coleta de seus dados e a implementação de medidas de segurança robustas para proteger essas informações contra violações.

No contexto da Mídia Programática, que se baseia em algoritmos e dados para a veiculação automatizada de anúncios, a LGPD impõe uma mudança nas práticas de segmentação de público e direcionamento de anúncios. 

O tratamento de dados deve ser conduzido com maior transparência e respeito pelas preferências dos usuários, evitando riscos de não conformidade e prejuízos à imagem da marca.

Dicas para aplicar LGPD em campanhas de Mídia Programática

À medida que a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) redefiniu o cenário de privacidade e proteção de dados, a veiculação de campanhas de Mídia Programática também passou por uma transformação significativa. 

Garantir a conformidade com a LGPD é essencial para manter a transparência, a confiança do usuário e evitar penalidades. Aqui estão as melhores práticas em um passo a passo para criar um plano de mídia de acordo com o marco regulatório:

1) Avaliação da Situação Atual

Antes de qualquer coisa, é essencial avaliar as práticas existentes de coleta, armazenamento e uso de dados em suas campanhas de Mídia Programática. Identifique os tipos de dados que você coleta, como eles são usados e quais parceiros e plataformas estão envolvidos no processo.

2) Mapeamento de Dados

Crie um mapa detalhado dos fluxos de dados em suas campanhas. Isso inclui identificar pontos de coleta, processamento e compartilhamento de dados em todas as etapas do ciclo de publicidade programática. Esse mapeamento ajudará a identificar pontos de vulnerabilidade e a tomar medidas adequadas para mitigar riscos.

3) Consentimento Explícito

Obtenha o consentimento explícito dos usuários para coletar e usar seus dados pessoais. Isso deve ser feito de maneira clara e transparente, destacando qual informação será coletada e como será usada. Lembre-se de que o consentimento deve ser específico para cada finalidade de coleta de dados.

4) Transparência nas Políticas de Privacidade

Atualize suas políticas de privacidade para refletir as mudanças trazidas pela LGPD. Essas políticas devem informar aos usuários como seus dados serão usados, quem terá acesso a eles e como eles podem exercer seus direitos de acesso, correção e exclusão.

5) Minimização de Dados

Adote o princípio da minimização de dados, coletando apenas as informações estritamente necessárias para alcançar a finalidade específica da campanha. Isso ajuda a reduzir o risco de violações de privacidade e minimiza a quantidade de dados armazenados.

6) Segurança de Dados

Implemente medidas de segurança rigorosas para proteger os dados coletados. Isso inclui criptografia, acesso restrito a dados sensíveis e políticas de segurança para parceiros e fornecedores envolvidos na campanha.

7) Monitoramento e Resposta a Incidentes

Estabeleça um sistema de monitoramento contínuo para detectar qualquer violação de dados. Se ocorrer um incidente, tenha um plano de resposta pronto para notificar os usuários afetados, as autoridades regulatórias e tomar as medidas necessárias para mitigar danos.

8) Treinamento de Equipe

Capacite sua equipe sobre os requisitos da LGPD e as melhores práticas de privacidade de dados. Todos os membros envolvidos na veiculação de campanhas de Mídia Programática devem estar cientes das responsabilidades e regulamentações pertinentes.

9) Revisão de Parceiros

Avalie seus parceiros de Mídia Programática e fornecedores de tecnologia quanto à conformidade com a LGPD. Certifique-se de que eles sigam as mesmas diretrizes rigorosas de proteção de dados.

10) Educação dos Usuários

Além de cumprir as exigências legais, eduque seus usuários sobre a importância da privacidade de dados e os benefícios de compartilhar informações de forma controlada. A transparência sobre suas práticas de privacidade pode construir confiança duradoura.

Na complexa interseção entre a Mídia Programática e a LGPD, a conformidade se torna um ativo valioso. Siga estas melhores práticas para garantir que suas campanhas não apenas atinjam os resultados desejados, mas também respeitem a privacidade dos usuários e mantenham a integridade da marca. 

ADSPLAY de acordo com a LGPD

Queremos ser seu principal parceiro e te ajudar a aplicar a LGPD em suas campanhas de Mídia Programática. Fale com nossos consultores e construa um plano de mídia que priorize a conformidade, a confiança e a durabilidade.

Compartilhe essa postagem!

categorias

Brand safety

Campanha publicitária

Cursos online

Dia das mães

Dia dos pais 2021

Digitalks

LGPD

Marketing de dados

Marketing digital

Marketing em áudio

Inscreva-se para receber os nossos materiais e ficar por dentro das principais notícias do nosso setor.

    O QUE PODEMOS FAZER PELA SUA MARCA HOJE?

    Fale conosco